sábado, 16 de junho de 2018

Cuca com Geleia de Frutas Vermelhas

As coisas tem andado meio devagar aqui no blog, mas tenho lá minhas desculpas...tem feito muito frio por aqui, pelo menos pra mim, que prefiro de longe dias mais quentes e ensolarados.
O forno ligado aquece a cozinha, mais todo o preparo anterior se torna mais difícil, sem falar na louça pra lavar...e ainda tem aqueles períodos de desânimo, quero experimentar, mas não quero cozinhar.
Foi assim com essa cuca, eu queria muito provar uma receita nesse estilo, tipo pão e não com fermento químico. Algumas coisas deram certo, outras não, o preparo não estava indo muito bem, baixas temperaturas, crescimento lento da massa, gás acababndo no início da assamento...aff. E ficou claro que errei a mão na hora de fazer a farofa, enfim, tem dias que nada ajuda.
O resultado é esse da foto, uma bela cuca até, não exatamente do jeito que eu queria, quero repetir a receita num dia mais favorável 😐, visto que a fonte é excelente, da fabulosa Neide Rigo.
Fiz apenas meia receita abaixo e rendeu uma cuca enorme.

Cuca com geleia de frutas vermelhas

- 30g de fermento biológico fresco, usei 6g  do seco para meia receita
- 2 ovos
- 250g de açúcar
- 12g de sal
- 750ml de leite (ou metade leite, metade água)
- 100g de manteiga sem sal em temperatura ambiente
- 1 colher (sopa) de suco de limão
- raspas de 1 limão tahiti
- 1.250g de farinha de trigo

Para a farofa:
- 1 xícara de farinha de trigo
- 1 xícara de açúcar
- 100g de manteiga derretida
- 1,5k de uvas escuras, lavadas e secas - usei geleia de frutas vermelhas caseira

Preparo:
Numa tigela dissolva o fermento com o açúcar e o sal no leite. Acrescente a manteiga, os ovos e o suco de limão. Junte a farinha aos poucos, mexendo com uma colher, depois passe a misturar com as mãos enfarinhadas. Coloque as raspas do limão e o restante da farinha até obter uma massa homogênea e muito macia. A textura da massa não deve ser firme como pão, nem mole como bolo, nem precisa sovar demais. Deixe descansar até dobrar de volume.
Prepare a farofa: Misture com as mãos os três ingredientes até formar uma farofa úmida.
Unte e enfarinhe uma forma retangular, espalhe a massa ocupando todo o fundo da forma. Cubra com o recheio escolhido e espalhe a farofa por cima.
Deixe crescer até dobrar de volume. Asse em forno preaquecido a 200ºC por aproximadamente 1 hora ou até que a farofa doure.



Excelente final de semana a todos!

sexta-feira, 8 de junho de 2018

Pão de Tomate e Alecrim com Fermento Natural


Esse é um pão muito aromático, o alecrim espalha seu perfume durante todo processo e se mantém mesmo nos dias seguintes. A cor poderia ter ficado mais intensa, talvez por ter feito apenas meia receita, a quantidade de polpa foi menor e não marcou o pão como eu gostaria. Algo a se adequar numa próxima oportunidade.

Pão de tomate e alecrim
(Pães - Emmanuel Hadjiandreou)

- 400g de farinha de trigo branca
- 10g de sal
- 4g de alecrim fresco picado, usei seco
- 6g de cominho-preto, não usei, substituí por chia
- 40g de purê (ou polpa) de tomate
- 200ml de água morna
- 300g de fermento natural
- 2 colheres (chá) de azeite
Preparo:
Misture a farinha, o sal e o alecrim em uma tigela, essa é a mistura seca.
Em uma tigela grande misture a água e o purê de tomate até uniformizar.
Acrescente o fermento natural e misture. Junte o azeite e mexa bem.
Adicione a mistura seca à líquida e misture até dar liga. Cubra e deixe descansar por 10 minutos.
Sove a massa fazendo dobras, com a massa na tigela, puxe uma porção de massa da lateral e pressione-a no centro. Gire um pouco a tigela e repita o processo. Repita por mais 8 vezes.
Cubra e deixe descansar por 10 minutos. Repita as dobras por mais duas vezes com descanso de 10 minutos entre cada rodada de dobras. Depois de ter feito quatro vezes o passo das dobras, cubra a massa e deixe-a descansar por 1 hora.
Enfarinhe uma superfície de trabalho e modele um pão alongado, coloque-o na cesta (polvilhada com farinha de arroz) para fermentação e deixe descansar até quase dobrar de tamanho - de 3 a 6 horas, o meu precisou de 8h.
Preaqueça o forno por 20 minutos a 250ºC. 
Coloque uma assadeira na parte inferior para aquecer junto. Passe o pão para uma pedra de assar ou uma assadeira baixa, faça um corte na superfície do pão e leve-o ao forno.*
Despeje água na assadeira quente que estava no fundo do forno para gerar vapor e diminua a temperatura para 240ºC.
Asse por 30 minutos ou até dourar bem.
Deixe esfriar sobre uma grade antes de cortar. Pela parte cortada é possível observar que não esperei o suficiente, cortei ainda quente, rs
*Assei meu pão num saco de assar carne, eles suportam bem a temperatura e vem com um lacre para fechamento que não permite a saída do vapor, deixando o pão com a casca crocante. Nesse caso dispense a assadeira com água.
Fiz meia receita acima e rendeu um pão médio.


Excelente final de semana a todos!!

terça-feira, 5 de junho de 2018

Risi e Bisi...arroz e ervilha

Risi e bisi é um prato típico da região de Veneto na Itália, seu nome significa arroz e ervilha. Muito saboroso e de fácil preparo, tem lá suas sutilezas na escolha dos ingredientes, optei por fazer versão risoto, uma das minhas refeições favoritas!

Risi e bisi

- 1 xícara de arroz carnaroli
- 750ml de caldo de legumes - aproximadamente
- 1 e 1/2 xícaras de ervilha congelada
- sal e pimenta do reino moída na hora
- 2 colheres (sopa) de azeite de oliva
- 1/2 xícara de vinho branco
- 1/2 colher (sopa) de manteiga
- queijo parmesão ralado na hora e lascas para guarnecer
- bacon a gosto
- alhos inteiros, opcional
Preparo:
Corte o bacon em cubos bem pequenos. Distribua-os num prato sobre uma folha de papel absorvente e cubra com outra folha. Leve ao microondas por 30 segundos, verifique e se preciso repita o processo até que os pedaços estejam sequinhos e crocantes, reserve.
Aqueça o caldo de legumes em uma panela, mantenha-o assim.
Em outra panela, aqueça o azeite, doure ligeiramente os dentes inteiros de alho (se for usar, eu adoro), coloque o arroz e misture bem para que todos os grãos fiquem envoltos de azeite. Junte o vinho branco, mexa e aguarde evaporar.
Coloque uma concha do caldo e mexa todo o tempo, assim que começar a secar, adicione mais caldo, repita o processo até que os grãos estejam cozidos, mas al dente, ou seja, ainda firmes. No meio desse processo acrescente as ervilhas, tempere com sal e pimenta do reino a gosto.
Quando o arroz estiver no ponto, desligue o fogo, junte a manteiga e um pouco de parmesão ralado, misture ligeiramente, tampe a panela e espere 5 minutos para servir.
Finalize o prato com os cubinhos de bacon, lascas de parmesão e um fio de azeite.


Excelente semana a todos!!

quinta-feira, 31 de maio de 2018

Muffins de Chocolate Duplo


Fiz um bolo ontem, véspera de feriado...foi para o lixo! ;(
Não sem muita tristeza, claro, afinal, é desperdício, não intencional, mas é! Não tinha como aproveitar, uma pena...acontece.
Hoje é outro dia e escolhi fazer muffins chocolatudos e intensos, ficaram ótimos!
Ligeiramente adaptados do Culinátia de Todas as Cores - 200 Receitas Incríveis de Bolos e Biscoitos (Sara Lewis) 

Muffins de chocolate duplo

- 275g de farinha de trigo
- 25g de cacau em pó, usei 100%
- 3 colheres (chá) de fermento em pó
- 150g de açúcar, usei 120g
- 75g de manteiga derretida
- 3 ovos batidos
- 150ml de leite
- 1 colher (chá) de essência de baunilha
- 200g de chocolate branco picado, usei 170g de chocolate meio amargo
- 100g de chocolate ao leite derretido, usei 50g de meio amargo

Preparo:
Peneire a farinha, o fermento e o cacau em uma tigela. Adicione o açúcar.
Misture a manteiga derretida, os ovos, o leite e a baunilha e junte à mistura seca.
Bata ligeiramente com um garfo ou fouet até ficar quase uniforme. Acrescente o chocolate meio amargo picado (as 200 ou 170g) e misture. 
Distribua a massa em forminhas de papel encaixadas nos espaços de um tabuleiro próprio de muffin.
Asse em forno preaquecido a 200ºC por 18-20 minutos, até crescer bem.
Deixe esfriar na forma por 5 minutos, retire e coloque sobre uma grade para que esfriem totalmente.
Derreta o restante do chocolate em banho-maria ou no microondas e respingue-o sobre os muffins em linhas aleatórias.

Rend. 12 unidades.


Dias abençoados de esperança e paz!

terça-feira, 22 de maio de 2018

Pão de Fermentação Natural da Mari Hirata

Assim que comecei a me interessar pela fermentação natural, tentei absorver o máximo de informação possível, entre livros, blogs, vídeos e afins, me deparei com o nome Mari Hirata.
Chef, consultora de gastronomia conhecida internacionalmente e guia de viagens ao Japão (onde vive com a família), também faz viagens com seus alunos de gastronomia pelo mundo. É ainda autora de um livro que acabei adquirindo, Mari Hirata Sensei. Ela relata um pouco de sua experiência com pães de fermentação natural, ensina como iniciar um fermento e produz pães praticamente sem sova.
Eu estava tendo dificuldade com a sova dos pães e resolvi testar a receita da Mari, preparei-a duas vezes e achei o resultado muito bom!

Pão de campanha da Mari Hirata

- 700g de farinha de trigo branca
- 100g de centeio
- 300g de fermento natural ou levain refrescado
- 1 colher (sopa) de extrato de malte ou glucose de milho (tipo karo)
- 15g de sal

Preparo:
Em uma vasilha grande, misturar o fermento e a água, em seguida adicionar a farinha, o centeio e o malte (ou glucose). Misturar tudo até obter uma massa pegajosa, não seca.
Não é preciso sovar. Não colocar o sal nesse momento, ele tende a dificultar a absorção da água pela farinha, inibindo o desenvolvimento da elasticidade do glúten.
Cubra com pano úmido e deixe descansar 15-30 minutos.
Acrescente o sal e sove rapidamente até perceber que os cristais do sal se dissolveram.
Acomode a massa em uma vasilha, cubra com filme plástico e deixe crescer. No verão, a massa duplica de volume em 6h, no inverno em 8-10h.
Depois desse tempo, coloque-a sobre superfície enfarinhada, puxe a massa pelas laterais para o centro, formando uma bola bem tensionada.
Em uma panela de fundo grosso, forrada com papel antiaderente ou papel manteiga untado levemente com manteiga, coloque a massa dentro e aguarde por no mínimo 1h para a segunda fermentação.
A massa deve dobrar  de volume novamente. Polvilhe um pouco de farinha sobre a massa, faça um corte em cruz na superfície do pão com uma faca muito afiada, um estilete ou tesoura.
Asse em forno preaquecido a 230ºC por 45 minutos, com tampa bem fechada.
O vapor acumulado possibilita a formação de crosta. Retire a tampa e asse por mais 15 minutos ou até atingir coloração dourada.

Agora que tenho um pouco mais de intimidade com o fermento, preciso repetir essa receita, certamente terei um resultado ainda melhor e mais semelhante ao da Mari.

Dica: A fermentação pode ser atrasada se a massa for colocada na geladeira por algumas horas. O pão continuará a crescer, porém num ritmo mais lento. Depois é só moldar numa bola, colocar na panela e deixar crescer novamente até o momento de assar.

Excelente semana a todos!